Home » Grandes empresários » Por que os imigrantes enriquecem no Brasil

Por que os imigrantes enriquecem no Brasil


Estamos vivendo um momento de grande crise no Brasil. As decisões tomadas pelo atual governo, no passado, começarão a afetar a economia brasileira nos anos seguintes, mas, esta não é a primeira vez que o nosso país sofre com a crise. O Brasil já passou por tempos muito difíceis, e muitos de nosso povo viveu, ou, ainda vive na mais completa e realista miséria. Porém, mesmo em um cenário crítico, algumas pessoas se superaram e enriqueceram. O destaque fica para os imigrantes, portugueses, italianos, japoneses, sírios e libaneses.

Mas como eles conseguem crescer? O que acontece com os brasileiros que vivem aqui desde que nasceram e, até chegaram  a cursar faculdade, mas, não conseguem enriquecer? Como os imigrantes, vindos de regiões diferentes do globo, sem nada conhecer sobre o Brasil e a nossa cultura,  foram capazes de fazer fortuna em nosso país?

Este pequeno resumo de tudo pode nos ajudar a compreender melhor sobre cada um destes povos.

Por que os imigrantes enriquecem no Brasil

cafe

De modo geral, os imigrantes recebiam salários muito baixos nas fábricas ou nas lavouras, e ainda eram obrigados a disputar as vagas de empregos disponíveis com brasileiros e ex escravos. Sendo assim, muitos preferiam trabalhar por conta própria, tornando-se vendedores de frutas, verduras, mascates, e artesãos. Mas cada povo desenvolveu o seu próprio método de ganhar dinheiro, e o preservam até hoje como herança familiar. Conheça as características de cada um rumo ao sucesso de seus empreendimentos.

Os portugueses criavam oportunidade para trabalhar

A imigração dos portugueses para o Brasil teve início em meados do século XIX, logo após a proibição do tráfico negreiro em 1850. Muitos destes imigrantes chegavam ao país sem recurso algum, com a viagem paga por colonos, uma dívida que deveria ser saudada com o trabalho nas lavouras, e até lá não havia pagamento. A situação destes imigrantes era precária e a maioria analfabeta mas, até 1857 os portugueses já eram proprietários de 35% dos imóveis no Brasil, enquanto os brasileiros possuíam 44% dos mesmos. Ou seja, em sete anos estes imigrantes saudaram suas dívidas e se tornaram comerciantes bem sucedidos. Seu principal produto era o retalho, e, as vendas tiveram início com os caixeiros viajantes. Os caixeiros viajantes eram ambulantes que se dispunham a vender produtos de porta em porta e, de cidade em cidade.

Na época, os lusos dominavam o comércio em vários estados brasileiros, o que gerou conflito entre eles e o nosso povo, pois eram acusados de contratar somente imigrantes vindos de seu país, Portugal. Esta prática impossibilitava o desenvolvimento dos brasileiros e muitos comerciantes portugueses foram mortos por conta desta atitude.

Os italianos tinham visão empreendedora

De acordo com registros da imigração do Rio Grande do Sul e relatos de descendentes italianos, enquanto muitos imigrantes se instalavam no centro do Brasil, (Rio de Janeiro e São Paulo), onde a sua principal função era substituir a mão de obra escrava, aqueles que foram para a região Sul do país, podiam comprar terras a um preço muito baixo e com prazo de até dez anos para pagar. O valor das terras era cobrado pelo Império.

Uma vez que estes italianos estavam instalados, passaram por muitas dificuldades, pois não haviam estradas para as carroças e o trajeto era muito difícil. Cartas da época revelam que eles contavam com a fé para continuar no caminho iniciado, pois ali não havia nada. Porém, com o passar dos anos, a região foi crescendo, e os italianos tinham uma visão empreendedora, compravam terrenos onde acreditavam que se construiria a ferrovia, de acordo com os planos do Império. Uma vez que esta ferrovia era construída, muitos comércios se estabeleciam à sua volta, desenvolvendo a região.

Os japoneses eram rigorosos, disciplinados e trabalhadores

O navio que trouxe os imigrantes japoneses ao Brasil aportou em São Paulo no ano de 1908, através de um acordo admitido entre o nosso país e o Japão. A população imigrante japonesa foi destinada a trabalhar em lavouras por 5 cinco anos e, segundo um sistema criado para que eles não abandonassem as fazendas, foi possível que economizassem dinheiro para comprar as primeiras terras no país. O trabalho duro destes japoneses e a sua disciplina, era o que mais chamava a nossa atenção.

Como as diferenças culturais eram muito distintas, os primeiros imigrantes optaram por não se dedicarem a aprender a língua portuguesa, e mantinham escolas onde se ensinava o próprio idioma, cultura, trabalho, honra e disciplina.

Os sírios e libaneses tinham ambição

A ambição era uma característica do povo sírio e libanês recém chegado ao Brasil como imigrante em 1860. Eles eram um povo que contavam com a possibilidade de fazer muito dinheiro, pois assim podiam envia-lo para suas famílias no Líbano. Embora a ambição seja uma característica mal vista pela sociedade, entendemos que, sem ela, não é possível a realização de muitas conquistas e prosperidade.

Eles se estabeleceram entre São Paulo e Rio de Janeiro. Se tornaram grandes comerciantes, mas antes receberam o apelido de mascates. Mascate é o nome da maior capital de Sultanato de Omã, em transliteração árabe Masqat.

Observando os traços e características de todos estes povos, podemos aprender muitas coisas e também admirar com um olhar mais crítico, o perfil do trabalhador brasileiro. A exemplo dos portugueses, sim, nós somos um povo muito criativo, mas, preferimos esperar que surjam oportunidades ao invés de nos convencer de que podemos criá-las por nós mesmos. Por outro lado, também somos um povo empreendedor, porém, não pensamos muito no futuro como os imigrantes italianos. A maioria de nós nem mesmo se programa para receber uma boa aposentadoria, ou, se quer, pensa em investimentos que garantam o nosso futuro. Além disso, não somos nada disciplinados como os orientais japoneses. Nossos filhos são mimados e imaturos, criados para mamarem nas tetas das fábricas ou empresas em que trabalham, como se, as mesmas tivessem a obrigação de criá-los, ao invés de, haver um esforço próprio da parte deles mesmos para auxiliar que a empresa e, eles também, cresçam profissionalmente. Logo que os brasileiros conseguem um emprego, consideram os benefícios e as obrigações da empresa, caso sejam mandados embora. Infelizmente, ainda, nos dias de hoje, contamos com o show e, o famoso jeitinho brasileiro. Aquele mesmo jeitinho que nos fez levar sete gols da Alemanha, sem técnica, sem esforço, sem disciplina, sem nada.

E, para finalizar este artigo, temos a péssima mania de interpretar a ambição como algo ruim, afinal, somos um país praticamente cristão, e a religião prega exatamente isto. Acontece que, existe a ambição e, a ambição. A diferença é que, aquela que te faz ser bem sucedido por fazer o que ama e não tira o que é do outro injustamente, não deve ser interpretada como pecado.

Desejamos sucesso em seu negócio.


banner assinante

Sobre Derleit

Empresário sócio proprietário da empresa Netconpus empresa de criação e soluções para Internet.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Ad Plugin made by Free Wordpress Themes

COMPARTILHE
ou
ASSINAR GRÁTIS
O FranquiaEmpresa.com vai lhe enviar gratuitamente novidades sobre oportunidades de negócios e franquias em seu e-mail
FRANQUIA EMPRESA
Podemos ajudar?
Se você pretende anunciar ou quer dar uma opinião sobre como podemos melhorar o FranquiaEmpresa.com preencha o formulário de contato. Nós vamos responder o mais rápido possível.
Obrigado. Entraremos em contato o mais breve possível.
Quer ganhar dinheiro com a internet?
Baixe gratuitamente o PDF Como criar site gratuito para sua empresa
  • Criação de site para sua empresa
  • Registro de domínio
  • Hospedagem de site
  • Otimização de site
  • Criação de conteúdo para Fan Page (Facebook)
  • Com o seu site você terá um e-mail personalizado como seunome@suaempresa.com
*Nós não fazemos spam com seu e-mail.
Contato para Franquia Virtual
Obrigado. Entraremos em contato o mais breve possível.
Sorvete de Caipirinha
Todos os direitos reservados ©Franquia Empresa de 2014 e Duas Rodas
Quer uma receita de caipirinha e saber mais sobre a GORDURA TRANS? Desde que foi rotulada pela comunidade médica como a vilã da alimentação e da saúde, a gordura trans tem sido combatida pelas indústrias de alimentos.
  • 1 litro de água
  • 200g de açúcar
  • 110g de glicose
  • 50g de Selecta Cream Livre Trans
  • 50g de Topping
  • 4g de Liga Extra Industrial
  • Saiba mais adicionando seu e-mail
RECEBA NOVIDADES DE FRANQUIAS
Todos os direitos reservados ©Franquia Empresa de 2015
Lista com 50 Franquias Baratas até 25 Mil Reais
  • Franquias de  serviços
  • Franquias de cosméticos
  • Moda Jovem, Masculino, Feminino, Unisex
  • Assistência Técnica, Celulares, Tablets e Smartphones
  • Assessoria e Consultoria, Serviços financeiros
  • Agência de turismo
  • Cursos de Idiomas
  • Jóias, Semi-Jóias e Bijous
  • Serviço de limpeza
Todos os direitos reservados ©Franquia Empresa de 2015
Só resta um passo par receber a Lista com 50 Franquias Baratas de até 25 Mil Reais

Agora verifique seu E-mail

Confirme sua inscrição gratuita

GMAILYAHOOHOTMAIL